Antecipação de recebíveis para empresas

Tudo o que você precisa saber sobre antecipação de recebíveis para empresas. Confira!

As empresas lidam diariamente com desafios envolvendo a gestão. Sob o ponto de vista financeiro, os gestores devem ficar atentos ao mercado, procurando produtos adequados à sua realidade, como, por exemplo, a escolha da plataforma de pagamento online ou ainda das máquinas de cartão, como a maquininha para autônomo.

Neste contexto, a antecipação de recebíveis é um assunto relevante, especialmente quando se trata da gestão financeira da empresa. Independentemente do tamanho do seu negócio, a antecipação pode ser a solução ideal para o seu negócio.

O que é a antecipação de recebíveis?

Como o próprio nome sugere, a antecipação de recebíveis é um mecanismo por meio do qual as empresas conseguem antecipar o recebimento de valores de vendas parceladas.

 

A antecipação pode envolver valores pagos pelos clientes por meio de cartão de crédito, de vendas parceladas com carnês, entre outros. Portanto, trata-se de um mecanismo financeiro que permite o recebimento antecipado de valores oriundos de vendas parceladas. 

 

As empresas usam a antecipação de recebíveis como uma forma de obter capital de giro para manter as suas operações. É uma prática comum, mas que deve ser vista de forma planejada e, preferencialmente, não deve integrar a rotina financeira do negócio.  

Quais são as vantagens da antecipação?

Em alguns casos, o prazo para recebimento do valor da venda pode ultrapassar 30 dias. Sob o ponto de vista das empresas, esse tipo de situação pode ser um problema, especialmente se surgir algum imprevisto financeiro que demande disponibilidade de caixa.

 

A antecipação de recebíveis tem como sua principal característica a possibilidade de antecipar o recebimento de valores.

 

Por isso, essa característica é também uma das principais vantagens: antecipar a entrada dos recursos no caixa da empresa. Com a antecipação, o gestor não precisa esperar o prazo do pagamento para receber.

 

Se comparado com a assinatura de contratos de crédito, a antecipação é mais vantajosa, já que a empresa não precisa esperar um período tão longo para aprovação do seu pedido. Como o dinheiro da antecipação já é da empresa, ela consegue negociar mais rápido com a instituição financeira. 

 

Porém, esse benefício traz consigo alguns pontos de atenção. O primeiro é que a antecipação exige o pagamento de taxas, por isso, a empresa não vai receber o valor integral, já que um percentual será cobrado para que a antecipação aconteça. 

 

Outro aspecto que deve ser levado em consideração diz respeito à frequência com que essas antecipações são feitas. Via de regra, ela deve ser utilizada como uma estratégia de curto prazo para cobrir situações emergenciais. Utilizar a antecipação de recebíveis como uma ação de gestão financeira recorrente pode ser uma má ideia. 

Como fazer a antecipação de recebíveis? 

Fazer a antecipação de recebíveis é superfácil. Primeiro, a empresa precisa conhecer os três tipos disponíveis: via banco, via fundos FIDCs e via factoring. Entenda as diferenças a seguir:

 

  • Antecipação de recebíveis em banco: é um procedimento mais burocrático, porém, as taxas costumam ser mais competitivas;
  • Antecipação via Fundos de Investimento em Direitos Creditórios — FIDCs: o processo é mais rápido, mas as taxas são menos competitivas; 
  • Antecipação de recebíveis via factoring: menos burocracia e geralmente taxas mais altas.

 

O principal cuidado que precisa ser tomado quando o empresário for realizar a antecipação é com relação às taxas de juros. Podem haver diferenças significativas entre uma instituição e outra. Além dessas taxas, é necessário verificar os demais custos envolvidos com a operação.

 

Antecipação de recebíveis vale a pena? 

Como uma estratégia financeira de gestão a curto prazo, a antecipação de recebíveis é uma ótima alternativa. Essa modalidade traz liquidez para a empresa e permite lidar com eventuais imprevistos financeiros.

 

Ao antecipar o recebimento dos valores, o gestor consegue regularizar o fluxo do caixa, já que aumenta o capital de giro. Entretanto, essa antecipação não deve ser uma solução a longo prazo, já que existem custos e taxas atrelados a ela.

 

Uma boa gestão financeira a médio e longo prazo depende da adoção de boas práticas envolvendo planejamento, escolha de uma boa máquina de cartão, bom relacionamento com a instituição financeira parceira, controle do fluxo de caixa e realização de investimentos de forma contínua.

 

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.